Full width home advertisement

Biologia

Saúde

Medicina

Post Page Advertisement [Top]

destaquemedicina

Fibrose Cardíaca - Tudo Que Você Precisa Saber Sobre Essa Doença!

"Provavelmente você já ouviu falar em fibrose pulmonar ou fibrose cística, mas saiba que a condição também pode atingir o coração?"

 

Primeiro, vamos entender do que estamos falando. De maneira simplificada é possível caracterizar as fibroses como uma espécie de cicatriz, porém, mais firmes. São ricas em colágeno e por isso rígidas e resistentes.

 

Elas surgem a partir de um processo reparativo ou reativo do organismo em decorrência de um trauma local, ou por uma malformação congênita (como a fibrose cística, que afeta o trato digestivo). Quando alguém sofre uma lesão, tem um ferimento, infecção, está em um estado inflamatório ou passa por uma cirurgia, por exemplo, um gatilho humoral é disparado no organismo dando início a um processo de cicatrização ou reparo tecidual.

 

As fibroses são formadas durante esse processo, só que de maneira exagerada. Cabe dizer então que a fibrose é uma formação excessiva de tecido conjuntivo fibroso. Ou seja, à medida que o organismo reage de forma exacerbada ao trauma, deposita muita matriz extracelular e fibras de colágeno internamente no local, formando esse tecido rígido.

 

E, diferente do que muitas pessoas acreditam, a fibrose pode acometer órgãos ou tecidos em qualquer região do corpo. Dependendo do caso, há riscos de alterações na estrutura e funcionamento de um órgão ou tecido subjacente, acarretando até em limitações funcionais, se estiver localizada em uma articulação, por exemplo.Algumas das mais conhecidas são, além do pulmão, a fibrose na pele ou no fígado (cirrose).

 

Fibrose no coração

 

Figura 1 . Imagem em eixo curto mostrando realce tardio septal linear.

 

A fibrose cardíaca ou miocárdica envolve o comprometimento das células musculares do coração, chamadas de miócitos. Os miócitos vêm de células que recebem o nome de mioblastos, fundamentais para controlar os batimentos cardíacos. Indo um pouco mais além, cada célula do miócito tem uma coleção de filamentos cilíndricos: as miofibrilas, unidades que permitem que o coração se contraia.

 

Ao ocorrer a fibrose miocárdica, os miócitos são substituídos por tecidos incapazes de se contrair.

 

Figura 2 .  Imagem em eixo curto mostrando realce tardio não isquêmico localizado no septo interventricular e na parede livre do ventrículo esquerdo.

 

 Isso acontece quando as principais células envolvidas na cicatrização produzem colágeno em quantidades excessivas, o que resulta em um caso de cicatrização anormal ou fibrose. Assim, a fibrose faz com que os tecidos afetados endureçam e, em alguns casos, fiquem até distendidos - modificações que podem torná-los incapazes de funcionar adequadamente.

 

Quando a condição está presente no coração, provoca mudanças na dinâmica do órgão e, geralmente, afeta os ventrículos (suas câmaras de bombeamento). Por essa razão, gera alterações no ritmo de batimentos (taquicardias e arritmias), além dainsuficiência cardíaca - quando o coração não consegue bombear sangue suficiente para atender às necessidades do corpo. Fonte: https://cardiopapers.com.br / www.minhavida.com.br

Nenhum comentário:

Bottom Ad [Post Page]

| Design por Alex Johnny Prado - Adster