Full width home advertisement

Saúde

Biologia

Medicina

Post Page Advertisement [Top]

curiosidades

Como Está Sua Audição? Faça o Teste Para Saber!

"Sensível e complexa, a orelha é o órgão do corpo humano que permite o processamento da comunicação do nosso dia a dia, como a fala, a expressão dos pensamentos, além de monitorar os eventos ambientais que possam representar situações de perigo"

A perda auditiva pode resultar de algum dano no sistema auditivo, que se divide em orelha externa, orelha média e orelha interna. Constituem causas da perda auditiva na orelha externa a obstrução por cera e as infecções do canal auditivo. De modo geral, tratar estes problemas é bem fácil, mas o importante é agir rapidamente, para evitar danos à audição. 

Na orelha média, inflamações, perfurações ou a presença de fluído atrás da membrana timpânica (MT), e otosclerose (enrijecimento dos ossos do ouvido médio) são os problemas mais comuns. 

Já na orelha interna, podem afetar negativamente a capacidade auditiva o envelhecimento natural, ruído excessivo, fraturas no crânio, alguns tipos de medicamentos, ou ainda doenças como meningite, sarampo e rubéola materna. Tais fatores danificam os finos receptores sensoriais, afetando a transmissão de sinais aos nervos auditivos.


O problema da deficiência auditiva é que, em geral, se desenvolve sutilmente. Por isso, as pessoas afetadas demoram muito tempo para perceber que sofrem de perda auditiva. Pouco a pouco, a qualidade de vida diminui. 

É recomendável, caso você suspeite de perda auditiva, não esperar muito para tomar providências. O primeiro passo é procurar o médico otorrinolaringologista, que, por intermédio da avaliação otorrinolaringológica e de exames audiológicos, irá constatar se a deficiência realmente existe, além de prescrever o tratamento ideal. 

Em relação à deficiência auditiva, é comum o isolamento das pessoas afetadas. Este isolamento pode levar a outras complicações, como a depressão. Estudos mostram que usuários de aparelhos auditivos melhoram substancialmente sua qualidade de vida ao começar a usar um aparelho auditivo: eles têm uma relação melhor com suas famílias, mais autoconfiança, e mais independência e segurança. 

Os aparelhos auditivos modernos utilizam tecnologia digital. São ajustados individualmente para cada tipo de perda auditiva. Também têm programas automáticos para cada situação ambiental, amplificam a fala e reduzem os ruídos de fundo, além de eliminarem o apito (microfonia). Atualmente, a maioria dos aparelhos também permite a conexão direta e sem fio com TV e celular. Toda essa tecnologia facilita muito a vida de pessoas com perda auditiva, garantindo uma melhor qualidade de vida. 

Para cada tipo e grau de perda auditiva, bem como estilo de vida, há uma pequena maravilha da tecnologia que pode melhorar muito a audição. A adaptação e utilização de um aparelho auditivo, contudo, só terá êxito quando bem selecionado por um profissional e quando o usuário for bem orientado com relação às expectativas. 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) calcula que, neste ano, temos 1,1 bilhão de pessoas no mundo com deficiência auditiva, o que representa 16% da população mundial. A incidência da perda auditiva aumenta com o avanço da idade. Por esse motivo, supunha-se que a maior parte das pessoas com perda auditiva sejam os aposentados. Até pouco tempo atrás, esta suposição era verdadeira. Atualmente, sabe-se que não são os idosos a geração mais atingida pela perda de audição, e sim uma geração mais jovem, entre 55 e 65 anos de idade. 

O aumento da perda auditiva é o resultado de uma crescente sobrecarga de barulho e de música alta. O preocupante é que a situação está ficando pior de uma geração para a outra. As principais causas são o ruído excessivo nos ambientes e o uso regular de fones de ouvido com o volume do som muito alto. 

Portanto, aqui vão algumas dicas para proteger a sua audição:
• Diminua o tempo em ambientes ruidosos;
• Evite volumes com intensidade forte nos equipamentos de som;
• Em shows, afaste-se das caixas acústicas;
• Use protetores auriculares em atividades ruidosas;
• Não use remédios e pomadas nas orelhas sem orientação médica;
• Não use hastes flexíveis nem coloque objetos estranhos dentro do canal auditivo; e
• Para evitar otites externas, considere usar tampões personalizados na praia e na piscina.

Faça o teste aqui para você saber como está sua audição:


Fonte: exame.abril.com.br /youTube

Nenhum comentário:

Bottom Ad [Post Page]

| Design por Alex Johnny Prado - Adster